domingo, 4 de março de 2012

Reflexão : Dia Internacional da Mulher

Vídeo: Lei Maria da Penha.

                     Oito de Março – Dia Internacional da Mulher
Todos sabem que o preconceito é um marco presente na vida da humanidade, e a mulher não ficou de fora, em razão dele sofreu grandes perdas.
Ao longo da história, as mulheres viveram sempre subjugadas às vontades dos homens, a trabalhar como serviçais, sem receber nada pelo seu trabalho, ou então ganhar um salário injusto, que não dava para sustentar sua família.
Em razão desses e tantos outros modos de discriminação, as mulheres se uniram para buscar maior respeito aos seus direitos, ao seu trabalho e à sua vida.
A discriminação era tão grande e séria que chegou ao ponto de operárias de uma fábrica têxtil ser queimadas vivas, presas à fábrica em que trabalhavam ( em Nova Iorque) após uma manifestação onde reivindicavam melhores condições de trabalho, diminuição da carga horária de 16 para 10 horas diárias, salários iguais aos dos homens – que chegavam a ganhar três vezes mais no exercício da mesma função.
Porém, em oito de março de 1910, aconteceu na Dinamarca uma conferência internacional feminina, onde assuntos de interesse das mulheres foram discutidos, além de decidirem que a data seria uma homenagem àquelas mortas carbonizadas.
No governo do presidente Getúlio Vargas as coisas no Brasil tomaram outro rumo. Com a reforma da constituição, acontecida em 1932, as mulheres brasileiras ganharam os mesmos direitos trabalhistas que os homens conquistaram o direito ao voto e a cargos políticos do executivo e do legislativo.
Ainda em nosso país, há poucos anos, foi aprovada a Lei Maria da Penha, como resultado da grande luta pelos direitos da mulher, garantindo bons tratos dentro de casa, para que não sejam mais espancadas por seus companheiros ou que sirvam como escravas sexuais deles.
Mas a mulher não desiste de lutar pelo seu crescimento, o dia 8 de março não é apenas marcado como uma data comemorativa, mas um dia para se firmarem discussões que visem à diminuição do preconceito, onde são discutidos assuntos que tratam da importância do papel da mulher diante da sociedade, trazendo sua importância para uma vida mais justa em todo o mundo.
 Questões para reflexão:
1. Que tipos de submissão e discriminação a mulher sofreu ao longo dos séculos?
2. Pesquisar  os aspectos relevantes da 1ªmulher a se tornar rainha do Egito. Site: www. Wikipédia.com.br
3.Pesquisar nomes de atletas brasileiras que se destacaram na década de 40 a 60, pela coragem de romper as barreiras do preconceito contra as mulheres.
4.Entrevistar os avós ou pessoas mais antigas da comunidade a respeito do comportamento das mulheres em relação ao trabalho e relacionamento familiar.
5.Emitir a sua opinião em relação a Lei Maria da Penha, e aos avanços conquistados pela mulher em todos os campos de ação: pessoal, social, religioso, etc.


Vídeo: Os doze direitos da Mulher, segundo a ONU.

Quais as 12 mulheres mais importantes da história?
Em milhares de anos na história e nas guerras existiram centenas de mulheres que realmente seriam consideradas como as mais importantes da história. 

CLEOPATRA -  Uma das mulheres mais conhecidas da história da humanidade e um das governantes mais famosas do Egito.

ELIZABETH I - Seu reinado é conhecido por Período Elisabetano foi um período de ascensão, marcado pelos primeiros passos na fundação daquilo que seria o Império Britânico.

JOANA D’ARC - Joana D’arc nasceu na França no ano de 1412 e morreu em 1431 Grande personagem da história francesa e ocidental, durante a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), quando seu país enfrentou a Inglaterra. Joana D’arc foi canonizada (transformada em santa) no ano de 1920.

RAINHA VITORIA - O reinado de Vitória foi o mais longo da história do Reino Unido e ficou conhecido como a Era Vitoriana. Este período foi marcado pela Revolução Industrial e por grandes mudanças a nível econômico, político, cultural e social.

- MARIA - A mãe de Jesus Cristo, que lutou e também foi uma grande mãe, exemplo de vida e mulher...

MARIE CURIE - Foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Nobel, de Física. "Inventou” a radioatividade surgindo interesse pelos fenômenos radioativos.

OLGA BENÁRIO PRESTES - Jovem militante, de origem judaica, entregue para ser morta pelo regime nazista em campo de concentração. Veio para o Brasil na década de 30, para apoiar o Partido Comunista do Brasil. Destacada como guarda-costas de Luís Carlos Prestes, tornou-se sua companheira.

MADRE TERESA DE CALCUTÁ - missionária católica albanesa nascida na República da Macedônia e naturalizada indiana e beatificada pela Igreja Católica. Considerada, por alguns, a missionária do século XX, fundou a congregação "Missionárias da Caridade".


MARINA SILVA - ex-ministra do meio ambiente, Grande defensora da Ecologia em nosso mundo atual.

A princesa LADY DIANA - da Inglaterra. - Pioneira além de atividades fidalgas, mostrou ao mundo o que é ser mulher, mãe, amiga, batalhadora, sempre presente em grandes eventos, com sua beleza contagiante.

Na história da Guerra dos Farrapos, não podemos esquecer ANITA GARIBALDI, que largou tudo para ir defender sua terra, seu pedaço de chão amado.
ANA NÉRI - a Primeira Enfermeira do Brasil.

Mulheres brasileiras poderia citar as grandes atrizes - Regina Duarte, Ioná  Magalhães, Glória Menezes, Suzana Vieira, Ingra Liberato, Cristiane Oliveira.

Sem nunca esquecer a GRANDE LEILA DINIZ - que foi a primeira mulher brasileira famosa a assumir e mostrar publicamente sua barriga de 9 meses de gravidez nas areias de Copacabana, ao mesmo tempo que "escandalizou" as senhoras recatadas da alta sociedade, as pessoas foram vendo quais os verdadeiros princípios de vida de LEILA DINIZ, que teve sua vida ceifada em acidente aéreo em junho de 1972, deixando sua filha Janaína com poucos meses de vida..

Famosas centenárias não podemos esquecer Dona CANÔ que comemorou mais de cem anos lúcida junto aos filhos Caetano e Maria Betânia.
Dercy Gonçalves, pela arte profissional, ela foi pioneira. Abriu caminho, para que as pessoas saibam envelhecer com dignidade.
Mais recentemente - MARIA DA PENHA - que enfrentou o marido - algoz - que dizia que amava e maltratava, inclusive por seu exemplo de LUTA em favor das MULHERES existe a LEI MARIA DA PENHA, onde em pleno século XXI é a maneira que as mulheres brasileiras têm de não sofrerem caladas, esta lei dá direito da mulher ser tratada com RESPEITO e cidadania.


Um comentário:

  1. Amei essa postagem e acabei conhecendo os 12 direitos da mulher que eu não tinha idéia da existência, irei aproveitar para levar aos meus alunos do EJA, obrigada pela sua contribuição

    ResponderExcluir